portes
Portes grátis

para compras > 50€

Entrega dia útil seguinte
em Portugal Continental

Secure Faça compras
em segurança
mbway
visa
paypal
mb
shopp
0 produtos
  • home
  • Campanhas
  • Promoções
  • search

Hemorróidas

São vasos sanguineos dilatados e salientes no canal anal.

Dependendo da sua localização classificam-se em:

  • Externas (localizam-se em redor do ânus. podem ser hemorróidas externas simples, trombosadas ou edematosas);
  • Internas (localizam-se dentro do ânus);
  • Mistas (quando coexistem os 2 tipos de hemorróidas).

As hemorróidas internas são ainda classificadas em quatro graus em função do nível de prolapso:

  • Hemorróidas de grau I: são aquelas que não prolapsam através do ânus;
  • Hemorróidas de grau II: prolapsam e a sua redução/retorno é espontânea;
  • Hemorróidas de grau III: apresentam-se permanentemente exteriorizadas e a sua redução só é conseguida manualmente;
  • Hemorróidas de grau IV: estão prolapsadas e não é possível fazer a sua redução.

E uma patologia extremamente comum e de incidência ligeiramente superior no sexo feminino.

Causas das hemorróidas

As causas são diversas e incluem:

  • Obstipação intestinal associada ao esforço físico intenso durante a defecação;
  • É frequente o surgimento de hemorróidas após crises de diarreia;
  • Dieta pobre em fibra;
  • Uso abusivo de laxantes estimulantes;
  • O facto de estar de pé ou sentado durante longos periodos de tempo;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Gravidez e parto;
  • Predisposição hereditária.

O facto de apresentar um ou mais dos factores acima mencionados não quer dizer desenvolverá obrigatoriamente hemorróidas, tal como o contrário também se pode verificar.

Sintomas

As hemorróidas podem não manifestar sintomas (hemorróidas assintomáticas).

Quando presentes, os sintomas mais frequentes são:

  • Vestígios de sangue/hemorragia que pode conduzir a anemia;
  • Prolapso;
  • Excreção de muco;
  • Prurido anal;
  • Dor e desconforto durante a defecação;
  • Sensação de evacuação incompleta;
  • Inchaço visivel (hemorróidas externas ou internas prolapsadas).

Sempre que esteja presente dor e hemorragia, deve procurar cuidados médicos mesmo quando sabe ou desconfia que são sintomas associados às hemorróidas, pois a presença de sangue nas fezes é um sintoma comum a várias doenças gastrointestinais.

Nestes casos evite a auto-avaliação e a consequente automedicação.

Tratamento das hemorróidas

O tratamento pode ser:

  • Clínico (indicado nas hemorróidas não complicadas com sintomatologia discreta)
  • Instrumental: laqueação elástica e esclerose
  • Cirúrgico: hemorroidectomia ou mucosectomia circular anorectal

O tratamento sintomático das hemorróidas pode contribuir para o alívio do desconforto associado. Além disso, se presente, as causas da obstipação devem ser encontradas.

Para o alívio dos sintomas pode recorrer-se a:

  • Anestésicos locais (ex. lidocaína) que reduzem a dor. Não devem ser utilizados por longos períodos;
  • Protectores da pele (ex. óxido de zinco). Muitas preparações têm estes constituintes nas suas formulações que possuem propriedades emolientes e protectoras. Estes produtos são importantes pois a presença de matéria fecal na zona perianal pode causar sintomas como a irritação e o prurido.
  • Preparações que contêm corticosteróides tópicos reduzem a inflamação e o inchaço, promovendo o alívio do prurido e da dor. Estas preparações são sujeitas a receita médica e não devem ser usadas por períodos superiores a 7 dias.
  • Preparações orais que contêm flavonóides diminuem a permeabilidade vascular e a inflamação.

A Farmácia em Casa aconselha

Além do tratamento indicado pelo seu médico siga os nossos conselhos:

Nas crises agudas:

  • Faça banhos de assento com água morna;
  • Evite a utilização de papel higiénico. Lave com água e seque com toalha em leves toques após cada defecação;
  • Evite estar muito tempo sentado na sanita. Mesmo que sinta vontade, não deve estar muito tempo nessa posição e, principalmente, deve evitar fazer esforço.

Fora da crise aguda e como prevenção:

  • Reduza o esforço durante a defecação através da produção de fezes menos duras e mais moldadas. Neste caso é importante aumentar a ingestão de fibras e fazer uma adequada ingestão de liquidos (cerca de 2 litros água/dia). Pode ser oportuno a utilização de agentes emolientes das fezes.
  • Evite os condimentos (agentes irritantes do sistema digestivo);
  • Evite o consumo de álcool, açucares e gorduras pois podem provocar obstipação;
  • Deve criar um hábito de defecação para prevenir a obstipação.
  • Evite permanecer muito tempo sentado;
  • Os sintomas de irritação e prurido podem ser aliviados com banhos de assento e medicamentos de aplicação local. Evite coçar a zona anal pois pode provocar irritações;
  • É recomendável praticar exercício físico como caminhadas e natação. Além disso, o exercício ajuda à perda de peso, importantes na prevenção, uma vez que a obesidade pode ser um sintoma de predisposição. A actividade física também ajuda a regular o trânsito intestinal.

O esforço físico excessivo (levantar objectos pesados) e desportos como o ciclismo ou equitação devem ser evitados pois promovem elevada pressão sobre a zona anal.

  • As fezes devem ser eliminadas assim que a vontade for sentida. Há pessoas que reprimem o estímulo para irem à casa de banho mais tarde. Este comportamento pode tornar as fezes mais volumosas e, por isso mesmo, mais dificeis de expulsar. Por outro lado, as hemorróidas podem causar uma sensação de evacuação incompleta e sente-se o estímulo para defecar novamente. Nestes casos, o melhor é resistir a este estímulo.
  • Nas grávidas, os cuidados para evitar a obstipação bem como o esforço durante a defecação são bastante importantes.


TOP